sábado, junho 25, 2022

PESQUISA TRAZ CAPITÃO WAGNER NA LIDERANÇA, MAS NÃO INCLUI CID E EUNÍCIO


(Eliomar de Lima - O Povo)A pesquisa Big Data/Ceará que aponta o deputado federal Capitão Wagner (União Brasil) na liderança pelo Palácio da Abolição, deixou de fora as possíveis candidaturas do senador Cid Gomes e do ex-senador e presidente estadual do MDB, Eunício Oliveira.

Com os dois, especialistas avaliam que o cenário seria bem interessante para uma avaliação: o Capitão já bateu no teto?

A pesquisa trouxe Wagner com 40% das intenções de voto contra Roberto Cláudio registrando 35%; e Wagner com 44% contra izolda Cela, que anotou 29%.

sexta-feira, junho 24, 2022

DATAFOLHA - FALTANDO MENOS DE 100 DIAS PARA AS ELEIÇÕES, LULA VENCERIA NO 1º TURNO

Pesquisa do instituto Datafolha divulgada nesta quinta-feira (23) pelo site do jornal "Folha de S.Paulo" revela os índices de intenção de voto em diferentes cenários para o segundo turno da eleição presidencial de 2022. Lula registra vantagem de 23 pontos percentuais sobre Bolsonaro, oscilação dentro da margem de erro em relação à pesquisa anterior.

Segundo o Datafolha, a intenção de voto em Lula em um eventual segundo turno é de 57%, enquanto a de Bolsonaro é de 34%. A diferença entre os dois é de 23 pontos percentuais. Na pesquisa anterior, de maio, Lula tinha 58% e Bolsonaro (33%), uma diferença de 25 pontos. Os votos brancos e nulos mantiveram o mesmo percentual de 8%.

A pesquisa ouviu 2.556 pessoas nos dias 22 e 23 de junho em 181 cidades brasileiras. A margem de erro é de dois pontos para mais ou para menos.

Pesquisa estimulada de intenções de voto no 1º turno

A pesquisa Datafolha perguntou a intenção de voto dos entrevistados no primeiro turno. Na resposta estimulada, Lula tem 47%, contra 28% de Bolsonaro. Ciro vem em seguida

Lula (PT): 47% (48% na pesquisa anterior, em maio)

Jair Bolsonaro (PL): 28% (27% na pesquisa anterior)

Ciro Gomes (PDT): 8% (7% na pesquisa anterior)

André Janones (Avante): 2% (2% na pesquisa anterior)

Simone Tebet (MDB): 1% (2% na pesquisa anterior)

Pablo Marçal (Pros): 1% (1% na pesquisa anterior)

Vera Lúcia (PSTU): 1% (1% na pesquisa anterior)

Em branco/nulo/nenhum: 7% (7% na pesquisa anterior)

Não sabe: 4% (4% na pesquisa anterior)

quarta-feira, junho 22, 2022

MESMO COM DIVISÕES INTERNAS, CÚPULA DO PROS FECHA APOIO À WAGNER

O pré-candidato ao Governo do Ceará pelo União Brasil, Capitão Wagner, anunciou nesta terça-feira (21) aliança com o Pros, no Ceará, partido do qual era presidente antes de assumir o União Brasil. A parceria foi divulgada após evento do Pros em Fortaleza que gerou situação embaraçosa para o pré-candidato.

A aliança, segundo nota da assessoria de Capitão Wagner, foi selada depois de encontro com o presidente estadual da agremiação no Estado, Adilson Pinho, na segunda-feira (20). No último sábado (18), a chegada de Wagner no evento da legenda não repercutiu bem entre alguns correligionários, mesmo ele sendo ex-presidente do Pros no Ceará e recebendo apoio do pré-candidato à Presidência pelo partido, Pablo Marçal.

Na ocasião, o presidente do diretório municipal de Fortaleza, Paulo Pinho, que também é ex-prefeito de Poranga, se retirou do encontro diante da chegada de Capitão Wagner, levando consigo outros correligionários e esvaziando parte do auditório onde o evento ocorria. Para ele, o Pros não deve voltar a apoiar um partido da oposição ao grupo governista no Ceará. 

Além disso, Pinho ameaçou deixar a legenda junto com outros membros.

Apesar desse mal-estar, a cúpula estadual fechou apoio a Wagner. Com isso, o Pros deve passar a integrar o arco de alianças do candidato de oposição, que já conta com apoio do Podemos, Avante, PTB, além do União Brasil - partido presidido por Wagner no Ceará e detentor da maior fatia do Fundo Eleitoral neste ano.

“É mais um time, uma seleção, que soma ao nosso exército, fortalecendo a nossa pré-candidatura ao Governo do Ceará. Todo apoio é bem-vindo, ainda mais do Pros, partido que até há pouco tempo eu presidia. Nossa parceria, com certeza, vai levar para Brasília um deputado do Pros”, comemorou Wagner.

CAMILO: ALIANÇA É PRIORIDADE "INDEPENDENTE DE QUEM FOR O CANDIDATO"

(Carlos Mazza - O Povo) - Após dias com diversas participações em eventos ao lado da governadora Izolda Cela (PDT), o ex-governador Camilo Santana (PT) desconversou nesta quarta-feira, 22, ao ser questionado sobre uma possível preferência pela sucessora na escolha do candidato do PDT ao Governo do Ceará.

“Eu tenho sempre colocado sempre a importância da manutenção da aliança”, destacou Camilo, em fala durante passagem por Crateús, na região do Sertão dos Inhamuns. “Independente de quem representará esse projeto, o importante é a nossa unidade”, disse.

Dentro do PDT, a fala de Camilo foi comemorada por aliados do ex-prefeito Roberto Cláudio (PDT) e interpretada como um gesto de pacificação do ex-governador em torno da disputa interna pela candidatura do partido.

“Nós estamos falando de um projeto que está em curso no Ceará, não estamos tratando aqui de projetos individuais ou pessoais. O fato de ser nome A, B ou C, o que é importante é que o projeto continue, melhore o que precisa ser melhorado, corrija o que precisa ser corrigido, para que a gente possa fazer avançar ainda mais o Ceará”, diz.

domingo, junho 19, 2022

MARCADO PARA DEMONSTRAR UNIÃO, ENCONTRO DO PDT ESCANCAROU DIVERGÊNCIAS

(INÁCIO AGUIAR - DN) - Na última quinta-feira (16), após as primeiras manifestações de Evandro Leitão e de outros nove deputados que geraram um rebuliço interno no PDT, fazendo o presidente nacional Carlos Lupi reagir, a conversa pouco amistosa entre os parlamentares continuou e gerou novas repercussões. Está claro que as divergências entre os correligionários não ocorrem só na disputa pelo Abolição.

As palavras ásperas que se seguiram apenas confirmam o racha interno que, independentemente das pressões externas ao processo de escolha do candidato ao governo, escancarou diferenças entre correligionários.

Uma fratura exposta, como nunca antes no grupo comandado pelos irmãos Ferreira Gomes e que podem ainda gerar repercussões.

Esta coluna apurou que um dos parlamentares da bancada, em contraponto aos colegas que criticaram Carlos Lupi, resolveu questionar se eles estariam mesmo ao lado de Ciro Gomes. Disse que no evento do PDT, boa parte da bancada do partido – que é a maior da Assembleia – nem esteve presente para ouvir o discurso do pré-candidato a presidente.

Além disso, o parlamentar disse que os colegas também não compareceram à palestra que Ciro proferiu na Câmara Municipal de Fortaleza dias antes. Por fim, espezinhou os correligionários dizendo que não via o mesmo entusiasmo deles em defender membros do PDT quando atacados por pessoas externas ao partido.

MAIS DIVERGÊNCIAS

O clima, então, azedou de vez. Uma enxurrada de críticas dos colegas se sucedeu. Houve de tudo. Um deles disse que estava faltando “respeito” internamente. Outro lembrou as constantes críticas do vereador Adail Júnior a colegas do partido.

Um terceiro cogitou a ideia de levar o tema para o debate público, no plenário da Assembleia.

Outro disse que iria chamar o presidente estadual André Figueiredo para uma reunião com a bancada, na qual seria cobrada uma satisfação sobre os “critérios para a escolha do candidato”, dentre outras coisas.

Esta última tem um peso a mais. Quem integra o grupo governista conhece perfeitamente a metodologia dos líderes do partido para escolherem o candidato. Estaria, então, a base se insurgindo contra os irmãos Gomes? Difícil saber se isso seguirá a diante.

O que é notório, porém, é que as divergências internas vão além da escolha do nome a representar o partido na disputa pelo Palácio Abolição. E a outra constatação é que o crescimento de outras lideranças no grupo governista, exemplos de Camilo Santana e Roberto Cláudio, dá outro tom aos debates quando há divergências.

Resta saber se pelo menos parte da unidade será preservada. A conferir. 

quinta-feira, junho 16, 2022

ÁUDIO - A GESTÃO DOS RUFINOS JÁ GASTOU MAIS DE 20 MILHÕES COM ALUGUEL DE VEÍCULOS!

Nesta quinta, 16 de junho, em mais uma edição do quadro nos Bastidores da Política dentro do programa Fatos em Debate da FM Cidade, Hélio Lopes e Kléber Teixeira revelam a comunidade ipuense os gastos milionários da Prefeitura de Ipu que desde 2013, considerando os valores divulgados pelo TCE (Municípios) e também considerando a correção monetária, já gastou mais de 20 milhões reais com a locação de veículos. Enquanto esses gastos astronômicos continuam a serem realizados a comunidade escolar e universitária de Ipu vive a sofrer com o sucateamento da frota municipal. 

Além da temática da locação de veículos, Hélio Lopes pediu uma visão de Kléber Teixeira sobre a saúde municipal de Ipu e os reclames dos munícipes. Ainda em âmbito municipal, a apatia da Cultura Municipal sem um calendário de festejos juninos foi alvo da análise dos comunicadores. 

Ao final, um ouvinte fez as seguintes provocações: "1. Se ele acha que em 2024 o Robério R. buscará a reeleição, ou será o Tião R. o candidato ou o Sérgio R. voltará a se candidatar?" e "2. O Lindemberg M. em 2024 não poderá concorrer as eleições municipais, pois se configurará como um terceiro mandato. Qual será o papel dele na eleição do Ipu ?"

Confira também as repercussões da redução do ICMS aprovada no Congresso Nacional e também do encontro do PDT ocorrido ontem, 15, em Fortaleza. 

terça-feira, junho 14, 2022

SENADO APROVA PROPOSTA QUE LIMITA ICMS EM 17% NOS ESTADOS

O plenário do Senado aprovou na noite desta segunda-feira, 13, por 65 votos a favor e 12 contrários, o texto-base do Projeto de Lei Complementar (PLP 18/2022) que cria um teto para a cobrança de ICMS (Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços) sobre combustíveis, energia elétrica, comunicações, gás natural e transporte coletivo. Com isso, os governos estaduais não poderão cobrar acima de 17% de ICMS.  Como houve alteração no Projeto de Lei, ele retornará para a Câmara dos Deputados.

A proposta prevê uma compensação aos estados com o abatimento de dívidas com a União, quando a perda de arrecadação passar de 5%. Os governos não endividados terão prioridade para fazer empréstimos com o aval da União, e podem ter recursos adicionais em 2023.

O governo argumenta que a mudança vai diminuir os preços dos combustíveis para o consumidor final e ajudará no controle da inflação, ajudando a economia como um todo. Já os críticos do PLP afirmam que não haverá redução significativa de preços nas bombas, mas áreas como saúde e educação podem ser afetadas.

O relator Fernando Bezerra Coelho (MDB-PE) complementou seu relatório analisando todas as 77 emendas apresentadas por senadores. Ele acolheu quatro emendas de maneira integral e outras nove emendas parcialmente.

Como o projeto considera que combustíveis — assim como energia, transportes coletivos, gás natural e comunicações — são bens essenciais e indispensáveis,  os governos não poderão cobrar ICMS acima do teto se o PLP virar lei.

Os governadores têm demonstrado resistência à proposta, visto que o ICMS é a principal fonte de arrecadação dos estados. Já os parlamentares de oposição  consideram a medida eleitoreira, que pode prejudicar os governos locais sem surtir o efeito desejado, que é baixar os valores na bomba. A questão também é objeto de processo que tramita no Supremo Tribunal Federal (STF).

O texto aprovado reduz a zero as alíquotas de Cide-Combustíveis e PIS/Cofins incidentes sobre a gasolina até 31 de dezembro de 2022. Atualmente, tais tributos federais já estão zerados para diesel e gás de cozinha. O relator optou também por derrubar a zero a PIS/Cofins incidente sobre álcool hidratado e sobre álcool anidro adicionado à gasolina.

Segundo o Comitê Nacional de Secretários de Fazenda, Finanças, Receita ou Tributação dos Estados e do Distrito Federal (Comsefaz) a aprovação do PLP 18/2022 trará perdas que representam um valor de R$ 115 bilhões por ano aos Estados, dos quais R$ 28,75 bilhões são apenas para os Municípios. 

O Comsefaz diz ainda que os mecanismos de compensação apresentados no texto e pelas medidas propostas pelo Governo Federal não irão garantir que os entes subnacionais tenham como pagar suas despesas e cumprir suas funções sociais e acrescenta que mudanças pontuais propostas no novo parecer não são capazes de evitar a desassistência de serviços públicos.

Fonte: Ceara Agora

segunda-feira, junho 13, 2022

APOIO DA FAMÍLIA PICA PAU AO DEPUTADO SÉRGIO AGUIAR MOVIMENTA A POLÍTICA DE PIRES FERREIRA

A política do ex-distrito de Ipu teve ampla movimentação nesse final de semana. A adesão do ex-prefeito Torrim e do seu filho José Augusto ao Deputado Estadual Sérgio Aguiar (PDT), soou como uma grande novidade política.  

O Blog estará nos próximos dias fazendo uma análise política sobre os reflexos dessa aliança também para 2024, a qual também ofusca o vereador de Ipu, Eduardo Ximenes, o qual era até então o protagonista das ações políticas de Aguiar no Pires Ferreira e que procurava se projetar como candidato a prefeito.

POSSÍVEL VOTAÇÃO

Em 2018, a Família Pica Pau apoiou Oriel Mota para Deputado Estadual, dando ao mesmo 1.173  (21%) votos nas urnas pirisferreirenses. Sérgio Aguiar foi no último pleito o terceiro mais bem votado com 556 votos (9,9%). E nesse ano será se o Deputado do PDT ultrapassa os 30% dos votos parlamentares no município?

Veja a nota enviada pelo líder político Torrim ao nosso blog:

Estar perto dos nossos amigos Piresferreirenses é sempre motivo de muita alegria e o dia de ontem foi movimentado. 

Primeiro, recebemos o Dep. Sérgio Aguiar em nossa residência para selar um importante passo de união da oposição em torno do Dep. Sérgio Aguiar e da pré-candidata a Federal, Fernanda Pessoa, atual Dep. estadual e filha do atual prefeito de Maracanaú, Roberto Pessoa. 

Em seguida, participamos ao lado do Dep. Sérgio, do vereador Aldemir da Cerâmica, da sua esposa Regiane Lemos, do ex-prefeito de Pires Ferreira, Torrim, ex-prefeita de Ipu, Corrinha, e demais lideranças, da abertura da 1º Copa José Augusto, momento que reuniu 16 equipes no balneário São José, em Marruás. Momento de ratificar nosso apoio ao Esporte, pois esporte é vida, saúde e lazer. 

E assim, vamos seguindo, com propósito de união, desprendimento e pensamento coletivo em busca sempre de melhorias para nossos irmãos Piresferreirenses. União é a palavra de ordem.