quinta-feira, dezembro 31, 2020

EDITORIAL - QUE VENHA UM BRASIL MELHOR!

Não nego que em termos de política de Estado tenho posicionamentos conservadores e sou adido defensor de uma economia menos intervencionista, menos tributária e desburocratizada. Porém acho que devido as históricas mazelas sociais que historicamente herdamos desde a colonização portuguesa e as pragas deixadas pela escravidão, o Brasil não pode abrir mão de políticas públicas responsáveis (e não eleitoreiras) de integração e mobilidade social. 

Tenho um perfil eleitoral que se enquadra nem entre a corrupta esquerda petista e nem com o despreparado bolsonarismo de direita com seus arroubos anti-democráticos. Tenho consciência que esses extremismos jamais levaram a nação brasileira para um lugar seguro e próspero. 

Sou um dos 859.601 (0,8%) dos eleitores brasileiros que em 2018 votaram na moderação proposta pelo Senador Álvaro Dias (PODEMOS-PR). No segundo turno ficaram dois quase intragáveis. Não deu para sair de casa e votar em um deles. 

Inicialmente, até torci para que o governo Jair Bolsonaro desse certo, mas depois vi que o mesmo foi engolido pelo sistema que o mesmo tanto criticou. Por enquanto, temos uma esquerda (PT-PCdoB-PSOL) desacreditada, um destemperado Ciro Gomes e um mauricinho tucano que governa São Paulo como os principais anti-bolsonaristas. O estapafúrdio presidente com seus 40% de aprovação acha que os tem por causa de suas ações governamentais. Mas isso pode se dissipar mias rápido ainda com sua inoperância na vacinação contra a Covid-19, a continuidade de uma pífia economia, o desemprego e também com a crescente perda do poder de compra do trabalhador.

Infelizmente o nosso 2021 ainda irá começar muito parecido com esse complicado 2020. A esperança de dias melhores está em uma vacina segura e que chegue a todos nós ainda no primeiro semestre. 

O 2020 foi um ano de aprendizagens profissionais, fortalecimento psicológico, empatia e de sedimentação das minhas convicções políticas. Não é um ano perdido por completo, apesar dos danos que tivemos com a perda de vidas, as paralisações econômicas e, sobretudo falando da minha área de atuação, na educação onde os governantes estão deixando seu retorno de lado. 

Que venha um 2021 com mais moderação.

PAZ e BEM a Todos!!!!

quarta-feira, dezembro 30, 2020

CONTRAPONTOS AO APREGOADO "RESPEITO E TRANSPARÊNCIA" DA GESTÃO SÉRGIO RUFINO

Nesses oitos anos de gestão do Prefeito Sérgio Rufino (PCdoB), o qual foi iniciado em 2013 com o discurso de um governo municipal com “respeito e transparência”, nunca houve da sua parte um estímulo para que os munícipes acompanhassem através do portal da prefeitura os seus gastos, contratações e as portarias/exonerações dos agentes públicos. Em tempos de internet e que os bons gestores buscam deixarem cristalinos seus atos administrativos, existem muitos contrapontos a serem observados pelo cidadão ipuense. 

O site da Prefeitura de Ipu, epicentro nessa relação gestor-contribuinte, em termos de atualizações dos dados de agentes públicos e da busca de interação com o cidadão, também observando as avaliações feitas pelo TCE ( através Índice de Transparência Municipal), nunca esteve entre os mais bem avaliados do estado. 

Por que o gestor não se interessa por essa interação dos seus atos administrativos com os cidadãos ipuenses?

ACOMODAÇÕES POLÍTICAS 

Existe em Ipu um total de 19 (Dezenove) Secretarias (incluindo as Autarquias que possuem o mesmo status) na estrutura administrativa - a qual chegou a esse número durante as esticadas de cordas da gestão Sávio Pontes (2009-2012). Apesar dos hiatos que existem no site da Prefeitura, percebe-se que existem portarias com nomeações e exonerações obscuras que envolve vereador, suplente de vereador, irmão de vereador e até pai de vereador. 

As Secretarias de Relações Institucionais e a Ouvidoria do Município são os maiores exemplos de um vergonhoso rosário de nomeações e virtuais apadrinhamentos, pois são nomes que não se percebe ações de função pública junto a comunidade. Enquanto isso, Secretarias estratégicas para o progresso municipal e integração social como a da Cultura e a de Esportes, passaram quatro anos acéfalas. 

Na imagem acima, observe-se a edição do Diário Oficial de 29/12/2020 com os titulares e suas respectivas pastas nesse final de segundo mandato. 

O ESTRANHO GABINETE DO PREFEITO

Em toda gestão municipal a chefia de gabinete é uma espécie de coração administrativo e político. Apesar da imprensa e dos eventos oficiais anunciarem que Tião Rufino, irmão do Prefeito, é o Chefe de Gabinete, oficialmente não o é. Desde o início de 2018, o cargo é oficialmente ocupado por um sobrinho do prefeito, mas o site estranhamente, assim como o cerimonial e as publicações nos veículos de mídia parceiros da gestão, omitem o seu nome, como assim também faz o layout da página (veja aqui) do site da prefeitura. O Gabinete, além de repleto de nomeações de conhecidos correligionários políticos dos Irmãos Rufino, estranhamente tem até um assessor de imprensa que é totalmente desconhecido do nosso meio.

O FIM DO DISCURSO DA TRANSPARÊNCIA

Como percebemos, existem muitos vazios deixados pelo gestor o qual nunca veio a público esclarecer e justificar essas dezenas de portarias de caráter ético questionável. Nesse sentido, "Respeito e Transparência" foi um slogan corretamente abandonado por Sérgio Rufino em seu segundo mandato. 

SAIBA O QUE A ESQUERDA QUER PARA APOIAR BALEIA ROSSI (MDB)

Não houve recesso parlamentar nas intensas negociações para definir quem será o próximo presidente da Câmara dos Deputados. Nesta segunda-feira, dia 28, o candidato Baleia Rossi (MDB-SP) recebeu uma carta-compromisso assinada por quatro partidos de esquerda (PT e PCdoB) e centro-esquerda (PSB e PDT) como contrapartida para obter o apoio das siglas, que ao todo que ao todo reúnem 121 deputados.

O documenta elenca cinco pontos considerados cruciais pelos dirigentes partidários. Entre eles, o de garantir a convocação de ministros do governo Jair Bolsonaro e a instalação de Comissões Parlamentares de Inquérito (CPIs) para “cumprir a contento a sua função de fiscalização e controle”. E pede o respeito às “minorias parlamentares”, assegurando que a “oposição possa exercer seu dever de contrapor-se ao governo”.

O texto também cobra por uma atitude mais enérgica do emedebista na “proteção da democracia e instituições contra ataques autoritários”, seja não pautando projetos de “cunha antidemocrático” seja pelo repúdio a manifestações que “façam apologia da ditadura, tortura e arbítrio”. 

A carta foi exibida durante uma videoconferência entre Baleia e os presidente do PT, Gleisi Hoffmann; do PSB, Carlos Siqueira; e do PCdoB, Luciana Santos. Também participaram os deputados Alessandro Molon (PSB-RJ), José Guimarães (PT-CE), Perpétua Almeida (PCdoB-AC) e Wolney Queiroz (PDT-PE), entre outros. O atual presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), também marcou presença no encontro virtual – ele faz campanha por Baleia contra a candidatura de Arthur Lira (PP-AL), que tem o apoio do Palácio do Planalto.

Os políticos que hoje são da oposição ao governo Bolsonaro saíram satisfeitos da reunião dizendo que Baleia se comprometeu a cumprir o acordo caso seja eleito.

Com informações de Veja.com

terça-feira, dezembro 29, 2020

RÁDIO REGIONAL - COM DOIS MESES FORA DO AR, A EMISSORA VIVE AS SEQUELAS DE DISPUTAS POLÍTICAS.

           

Há um ano atrás o meio radiofônico e político ipuense era sacudido com a saída do radialista e diretor Hélio Lopes da Rádio Regional de Ipu, juntamente com sua equipe de programação política e jornalística. O programa Fatos em Debate (FD), apresentado por Lopes e referência na defesa partidária do grupo de oposição, migraria então para a FM Cidade de Ipu vinculada ao grupo político que tem como líderes Nonato Martins e seu filho Dr. Carlos Eduardo. 

A motivação preliminar e oficial foi uma insatisfação de ordem pessoal entre o novo Diretor, Chagas Peres, com membros da equipe do programa de Hélio Lopes, os quais estariam impedidos de continuarem na emissora a partir de 2020. 

Chagas, o qual é sócio-proprietário da rádio e também suplente de vereador, passou a ter o comando a partir da transferência de poder que foi lhe dado por outro acionista: o vereador Genêso Mororó. Este edil, por sua vez, também afirmava que não era satisfeito com a direção da emissora que não dava vasão as suas ações parlamentares e empresarias. Chagas percebendo a insatisfação de Genêso, recebeu dele a palavra de que teria a gerência administrativa sobre suas ações, se tornando assim majoritário para comandar a histórica rádio que foi fundada pelo empresário Zezé Carlos no início da de ácada de 1990. 

Nesse percurso, até uma improdutiva e tensa reunião foi feita em Ipu com a presença dos outros sócios-proprietários: Toinha Carlos e o Deputado Sérgio Aguiar. Ao final, Chagas fez valer seu direito acionário. Hélio Lopes com sua equipe, decididamente, se desligariam da AM 1520 e teriam o mês de janeiro para se despedirem dos seus ouvintes através daquele canal radiofônico.  

MANOBRA POLÍTICA
Apesar de negar em um primeiro momento, ficou patente logo em seguida que ação de Chagas Peres foi uma manobra de ordem política que envolveu sua adesão ao grupo do prefeito Sérgio Rufino (PCdoB).

O Vereador Eduardo do Zé Maurício foi o grande articulador e pediu o aval do Prefeito Sérgio Rufino para "fechar o negócio", mesmo sabendo que Peres fora um dos mais duros críticos radiofônicos (inclusive na bancada do Fatos em Debate) contra a gestão municipal. Eduardo se licenciaria logo no mês de fevereiro para assumir um cargo na prefeitura e Chagas Peres (seu suplente de vereador), assumiria os últimos meses do seu mandato nesse ano de 2020.  No acordo político o novo Diretor da Regional apoiaria Eduardo nas eleições desse ano e direcionaria a rádio para ter uma postura "neutra". 

Chagas também tentou até ter um apoio financeiro da emissora por parte da Prefeitura, mas foi refutado pelo próprio Sérgio Rufino que lhe disse que já tinha duas outras rádios a seu serviço. "Eu fiquei segurando a rádio com o meu salário da Câmara", assim nos disse. 

CAMPANHA ELEITORAL
Durante os meses de setembro e outubro, os demais sócios-proprietários com seus interesses políticos, passaram a exigir espaços para divulgarem suas ações. O PDT do candidato Diego Carlos passou a ocupar um espaço diário nas manhãs, enquanto o PSD do candidato Flávio Alves e do vereador Genêso Mororó passariam a usar o sábado a partir das 12h. O restante da programação seguiu com uma postura moderada e nitidamente de apoio a gestão municipal. 

FORA DO AR
Semanas antes da eleição municipal, a Rádio teve uma grave pane no transmissor. De lá para cá, o atual Diretor tem travado uma verdadeira cruzada para colocá-la novamente no ar. A previsão é de um reparo que custará mais de 20.000 reais para que a emissora volte ao ar em janeiro. Um novo estúdio já foi montado no Alto da Boa Vista em um espaço cedido pelo pároco de Ipu. 
Outro desafio são as grandes pendências jurídicas e financeiras junto a Anatel que impossibilitam a sua migração do AM para o FM, e isso pode levar a emissora a perda concessão nos próximos anos. Isso explica o porquê que os demais proprietários não se interessam em investir na mesma e a utilizam apenas para fins políticos, enquanto a mesma não tem sua licença suspensa. 

Chagas diz que se "aposentou politicamente". Sem mandato e sem a suplência de vereador, fica difícil ter agora algum tipo de apoio da classe política mandatária de Ipu. Porém sabemos que Sérgio Rufino, o qual faz política sem retrovisor e  com uma matemática eleitoral de somar votos, pode até continuar a parceria "política-radiofônica".

QUEM MAIS PERDEU POLITICAMENTE?
Diego/Toinha Carlos e o Deputado Sérgio Aguiar perderam seus maiores defensores e divulgadores junto a sociedade ipuense. Na campanha municipal desse ano eles ficaram sem voz e isso também pesou no resultado das urnas. O vereador Genêso Mororó (PSD), o qual não conseguiu a reeleição, também saiu perdendo, pois a migração dos Lopes para a FM Cidade em muito colaborou na reeleição do vereador Nonato Filho (PROS), o qual teoricamente ocupou uma vaga no legislativo local que poderia ter sido sua pelo PSD. 
  
QUEM MAIS GANHOU POLITICAMENTE?
Apesar de ainda ter seu "DNA" vinculado a várias campanhas com a Família Carlos, Hélio Lopes (que foi o Vice de Dr. Carlos Eduardo) firmou uma boa e projetiva parceria política com os Martins de Nonato. Isso, por enquanto, não surtiu efeito eleitoral - como assim apontam os números da chapa Dr.Cadú-Hélio nas eleições passadas, mas em termos radiofônicos os frutos de uma audiência espetecular já são fartamente colhidos. 

segunda-feira, dezembro 28, 2020

ADAIL CARNEIRO - AUMENTA O TEMOR DE UMA DELAÇÃO PREMIADA DO EX-DEPUTADO.

O Ministério Público Federal (MPF) denunciou na última terça, dia 23/12, pelo crime de lavagem de dinheiro o ex-deputado federal José Adail Carneiro Silva, que foi flagrado com R$ 1.988.635,00 em espécie escondidos em caixas de aparelhos de televisão e em sacos plásticos na sede de uma empresa de locação de veículos em Fortaleza, no Ceará, durante a Operação Km Livre 2, aberta no dia 19 de novembro.

Adail foi detido em flagrante, sendo que sua prisão foi posteriormente convertida em preventiva. Na denúncia, além da condenação por lavagem de dinheiro, a Procuradoria requer a manutenção da preventiva do investigado e a perda, em favor da União, de todo o montante apreendido. As informações foram divulgadas pelo MPF na quarta, 23 de Dezembro.

O ex-deputado foi um dos principais alvos da investigação que mira fraudes na contratação de serviços de locação de veículos e motocicletas, com desvio de recursos públicos, fraudes em licitações e lavagem de capitais. Na primeira fase da operação, aberta em 2016, a PF apreendeu quase R$ 6 milhões em dinheiro vivo no cofre de uma empresa ligada ao então parlamentar.

Segundo os investigadores, há "fortes evidências de lavagem de dinheiro ilícito por meio da aquisição clandestina de corretoras valores e de sociedades em conta de participação do ramo de energia eólica, com a ajuda estratégica de operadores do mercado financeiro".

O autor da denúncia, procurador Luiz Carlos Oliveira Júnior, aponta que Adail Carneiro reconheceu a posse dos quase R$ 2 milhões apreendidos pela PF, mas "não apresentou qualquer justificativa quanto à origem" dos valores.

"Quem ganha recursos licitamente e tem um mínimo de raciocínio crítico, sobretudo a partir de uma atividade empresarial, não deixa simplesmente 'parados' e 'ocultados' R$ 2 milhões em espécie, em um pequeno quarto do seu escritório. Muito menos o guarda dentro de uma caixa de papelão", registrou o procurador.

A peça de acusação frisa ainda que a imputação de lavagem de valores se restringe aos valores apreendidos em novembro deste ano. "Outros valores também apreendidos em posse do denunciado, a exemplo dos quase R$ 6 milhões encontrados em setembro de 2016 na sede de outra empresa do investigado, bem como os crimes antecedentes a este delito de lavagem e a imputação a outros agentes da organização criminosa comandada pelo denunciado, deverão ser objeto de outras denúncias."

Fonte: O Povo

BLOG DO KT - Roberto Cláudio, prefeito de Fortaleza, assinou milhões em contratos com as empresas investigadas de Adail Carneiro, nos oito anos de mandato. Cresce o medo de uma Delação Premiada que possa deixar aliados próximos do grupo dos Ferreira Gomes em maus lençóis. 

O CONSOLIDADO PODER ELEITORAL DA SECRETARIA DE SAÚDE DE IPU

O enfermeiro e Secretário de Saúde, Glaidson Martins (PSB), foi eleito vereador com sonoros 1.505 votos, surpreendendo e sendo o segundo mais votado desse pleito de 2020. 

Antes até cotado para ser o candidato a Prefeito pelo grupo de situação, o agora secretário licenciado, ao final, se tornou o puxador de votos do PSB (sigla também também controlada pelos Irmãos Rufinos) ao pleitear uma cadeira no Legislativo local. Glaidson chegou a superar até o irmão do prefeito Prefeito Sérgio Rufino (Zeca Rufino – 1410 votos) e seu sobrinho (Moreira Filho – 1.080 votos), acendendo de vez a luz amarela do pragmatismo eleitoral do chefe do executivo local para a sua “terceira gestão” que se inicia em janeiro próximo, fazendo-o projetar um já peculiar controle familiar mais direto também sobre os cargos estratégicos da saúde municipal. 

PREFEITURA PARALELA 

Apesar de Glaidson ser um profissional reconhecido por sua competência, simplicidade e ter muitas conexões familiares no município, sua plausível votação mostrou, efetivamente, o peso eleitoral que a Secretaria de Saúde de Ipu atingiu nos últimos anos, sobretudo com seu gordo e crescente orçamento, verbas parlamentares e vários equipamentos de atendimento como é o caso do Hospital Municipal (“Regional”). 

A pasta da saúde virou uma espécie de "mini prefeitura". Lá também é um território bastante frequentado pelos vereadores e suplentes situacionistas com suas práticas assistencialistas junto aos seus eleitores. Dizer que a Secretaria de Saúde é monopólio de um candidato, considerando como sempre se fez política em Ipu, é um erro. Mas se percebeu claramente em quem a "linha de frente" das centenas de profissionais da saúde depositou sua confiança nas urnas ipuenses para lhes teoricamente representar no Poder Legislativo. 

"Ocupar o comando da Secretaria dá vitrine e influência, ainda mais para quem tem a equipe nas mãos como é o caso de Glaidson" - assim nos disse uma profissional que há vários anos trabalha com o enfermeiro. 

FAMÍLIA NO COMANDO 

Com um orçamento de mais de Trina e Um Milhões de Reais (R$ 31.232.351,00) previsto para ser executado em 2021, não esquecendo dos outros Milhões de Reais que continuarão vindo para o combate a Covid-19 em Ipu – nesse ano já entraram para o município quase Cinco Milhões de Reais (R$ 4.728.737, 53), a Secretaria de Saúde com o Fundo Municipal de Saúde deverá, a partir de janeiro, ter uma gestão in loco de membros da Família Rufino. 

Assim como já acontece com a abastarda Secretaria de Educação (com orçamento de R$ 44.387.374,00 para esse ano de 2020) que é ocupada pela professora Terezinha Rufino desde a primeira gestão do seu irmão, é esperado que a partir de janeiro a Secretaria de Saúde e a direção administrativa do Hospital Municipal fiquem sobre a tutela de membros do clã familiar que comanda o Ipu desde 2013.  

Acredita-se que uma sobrinha do prefeito, isso com formação acadêmica na área da saúde, assuma a Secretaria ao lado do tio, Tião Rufino, que pode comandar a parte administrativa do movimentado e epicentral Hospital "Regional" Dr. José Evangelista de Oliveira. Essa possibilidade pode até ter uma ordem invertida, com as devidas portarias de nomeações sendo algo meramente formal.

Tudo previsível e em casa, como assim concordaram 58% dos ipuenses nas urnas no último 15 de novembro. 

domingo, dezembro 27, 2020

SÁVIO PONTES 2020 - UM ANO DE DESENCONTROS POLÍTICOS


Sávio Pontes, através do PSD - sigla a qual é comandada estadualmente pelo seu amigo particular Domingos Filho, buscou manter-se vivo na política ipuense articulando a candidatura à prefeito do Professor Flávio Alves. Também como referência do PSD se encontrava o vereador candidato a reeleição Genêso Mororó, o qual tem o importante apoio da líder política e sua cunhada Efigênia Mororó. Vários outros candidatos debutantes a câmara municipal foram arregimentados para encorparem a sigla partidária. O ex-prefeito de Ipu teoricamente colocou o seu bloco na rua e desta feita, sem repetir a tradicional aliança com Toinha/Diego Carlos como acontecera nas últimas três eleições, buscou criar o discurso que o seu candidato, Flávio Alves, seria a verdadeira opção do voto de oposição ao candidato do Clã Rufinista. Porém, o trem descarrilhou no percurso da campanha deixando sequelas políticas para o já disperso grupo de oposição. 

Afirmando que o PSD não o tinha dado estrutura de campanha para competir, Flávio Alves desistiu e passou apoiar Diego Carlos (PDT). Já antes, Genêso Mororó, a estrela maior dos candidatos a vereador do grupo formatado por Pontes, também aderiu a candidatura do filho de Toinha Carlos como forma de fortalecer a conquista de votos sobre o eleitorado de oposição.

RUPTURAS POLÍTICAS 

Ao final e em meio aos desencontros do PSD ipuense, Sávio Pontes passou a apoiar a candidatura para a reeleição do vereador Nonato Filho (PROS). Genêso Mororó viu isso como uma retaliação do seu ex-aliado político, pois, segundo ele, suas bases eleitorais foram atacadas e isso foi decisivo para sua não reeleição. 

Conclusão: A aliança política entre Sávio Pontes e os Mororós de Efigênia e Genêso foi totalmente rompida e de maneira irreversível em meio as acusações de traições pelas duas partes. Nessa contabilidade de distanciamentos políticos, não esqueçamos que desde o pós eleições municipais de 2016, Sávio e Toinha Carlos, parceiros eleitorais desde o pleito de 2008, estão trilhando caminhos partidários diferentes e totalmente dissociados.  

DE OLHO EM 2022.

As eleições para Deputado Estadual e Federal em 2022, serão um grande desafio político para Sávio. Em 2018, ainda em parceria com Efigênia Mororó e Genêso, Pontes colheu os louros da razoável votação em Ipu dos seus candidatos do PSD: Domingos Neto (1.763 votos) e Patrícia Aguiar (1.258 votos). 

O ex-gestor ipuense disse ao Blog do KT que já está na ativa para trabalhar em parceria com o ex-Deputado Estadual Domingos Filho. O pai do Deputado Federal Domingos Neto e marido da prefeita eleita de Tauá, Patrícia Aguiar, deverá pleitear um retorno a Assembleia Legislativa Estadual. Para isso, manter-se proativo em municípios como o Ipu, será importante para os Aguiar de Tauá.  

Resta saber agora como ficará a votação dos candidatos a Deputado apoiados por Sávio Pontes em 2022, bem como se o mesmo conseguirá se cercar de lideranças locais que lhe fortaleça.

Dizem que a política tem a faceta de ressuscitar até quem não morreu. O mundo segue dando suas voltas. 

sábado, dezembro 26, 2020

CONFIRA A EDIÇÃO DESTE SÁBADO (26) DO POLÍTICA EM DEBATE

A PREVISÍVEL ELEIÇÃO DA NOVA VELHA PRESIDÊNCIA DO LEGISLATIVO IPUENSE

O PCdoB, partido majoritário com oito vereadores eleitos, é o epicentro da sucessão da presidência e nova mesa diretora do legislativo ipuense que ocorrerá em 1º de janeiro. Existe até uma reunião prevista para o dia 28 próximo, onde o prefeito Sérgio Rufino (PCdoB) irá fechar a composição da chapa situacionista. 

Mas o partido "comunista" de Ipu chega repetidamente na iminência de uma nova legislatura, repleto de conflitos internos: Arlete, a sempre candidata ao comando do Legislativo, nunca terá o voto de Evaldo e de Monga; Tia Olinda não vota em Arlete que não vota em Olinda e também em Evaldo e Monga; Moreira é rechaçado pelos demais pares do partido os quais ele penetrou deliberadamente em seus redutos eleitorais e até pelo tio Zeca Rufino; Evaldo, acuado por uma denúncia do MP que pede a sua cassação, é carta fora do baralho. Monga, o mais votado na última eleição, e Eduardo do Zé Maurício não tem a confiança do Prefeito Sérgio Rufino e estão no final da fila. Zeca Rufino, orientado pelo irmão prefeito, embora já ande cortejando os dois votos dos edis de oposição (Hilton Belém e Nonato Filho), fica discreto sem se apresentar oficialmente como candidato. 

Estrategicamente Sérgio Rufino se distancia do debate da sucessão da presidência da Câmara Municipal e deixa sua bancada “a vontade” para se definirem e acordarem uma chapa única. A já manjada manobra do gestor ipuense é deixar auto-alimentar as querelas internas dos mesmos e, ao final, se apresentar como o conciliador. Sergio, mais uma vez, deverá se aproveitar da incapacidade de articulação e de agregação dos membros do PCdoB e previsivelmente sair com aquela proposta: "Já que vocês não entraram num acordo, então vocês votam se for o Zeca?”. 

Não esqueçamos que em início de mandato e com muitos cargos e indicações para ainda serem preenchidos, estrebuchar contra o prefeito é pedir para ficar sem prestígio na divisão do bolo da gestão municipal. Nesse sentido e dissimulações a parte, todos sabem que se Sérgio Rufino indicasse "qualquer um" dos seus apoiadores, este seria eleito mesmo com algumas torcidas de nariz. Porém, o ainda prefeito oficial dos ipuenses joga com a previsibilidade e subserviência dos seus edis subordinados daquela casa legislativa. 

OS OUTROS PARTIDOS 

Enquanto isso, os três neófitos do PSB (Gleydson Martins, Ivan Moreira e Conceição Araújo) incluindo aqui também o estreante Raimundo Amaro do PCdoB, não possuem pretensões para pleitearem a presidência da Câmara Municipal de Ipu. A oposição com seus dois vereadores, Hilton Belém (PDT) e Nonato Filho (PROS), não tem quórum para formarem uma chapa de oposição.

SOMENTE UM FATO NOVO

Somente uma decisão dura do Poder Judiciário sobre edis eleitos pelo PCdoB poderia mudar os rumos da quinta reeleição de Zeca Rufino como presidente. E isso é algo improvável, porém não impossível mediante a ainda indefinição de pareceres após operações com apreensões realizadas pelo MPE e PF no último dia antes das eleições. 

sexta-feira, dezembro 25, 2020

ATÉ O PT IRÁ APOIAR O CANDIDATO DO MDB A PRESIDÊNCIA DA CÂMARA FEDERAL.

Começa oficialmente a disputa pelo comando da Câmara dos Deputados: o deputado federal Baleia Rossi, do MDB de São Paulo, acaba de ser escolhido para ser o candidato do bloco de Rodrigo Maia (DEM-RJ). Baleia Rossi irá disputar com Arthur Lira (PP-AL), candidato de Jair Bolsonaro. 

O bloco formado na semana passada em apoio a Maia reúne onze partidos — PT, PSL, MDB, PSB, PSDB, DEM, PDT, Cidadania, PV, PC do B e Rede. O nome de Baleia Rossi teve o aval de todas as legendas. 

Considerado por Bolsonaro o seu principal adversário no Congresso, o deputado Rodrigo Maia (DEM-RJ) foi o principal articulador da construção da candidatura de Baleia Rossi. Ele conseguiu reunir na aliança partidos de centro, como DEM, PSDB e MDB, e de centro-esquerda. Essa aliança certamente não se repetirá no primeiro turno das próximas eleições presidenciais, mas é um indicativo de  de que, num eventual segundo turno daqui a dois anos, Bolsonaro pode ter de enfrentar novamente o mesmo grupo. Em fevereiro de 2021, quando os congressistas escolherão seus novos comandantes, será jogada a preliminar da corrida ao Palácio do Planalto. 

APOIO DO PT

Até o início desta semana, setores importantes do PT não aceitavam apoiar o deputado Baleia Rossi, presidente do MDB, para o comando da Câmara dos Deputados. Dilma Rousseff e o deputado Arlindo Chinaglia (SP), por exemplo, lembravam que o MDB comandou a ofensiva pelo impeachment da então presidente, a fim de substituí-la por Michel Temer. Os emedebistas seriam algozes, adversários, conspiradores e como tal, deveriam ser tratados. Esse argumento, que tem os pés num passado recente, foi preterido por outro, que vislumbra no horizonte a sucessão presidencial de 2022. 

Por ampla maioria, a bancada petista na Câmara decidiu se unir a Rossi com o objetivo de derrotar o candidato do presidente Jair Bolsonaro na disputa, o deputado Arthur Lira, líder do PP e do Centrão. Outro motivo da decisão, que também tem como pano de fundo a próxima sucessão presidencial, foi o fato de partidos de esquerda, como PDT e PSB, terem anunciado apoio ao emedebista. 

As legendas que apoiam Baleia Rossi tem 280 deputados, número suficiente para eleger o novo presidente da Câmara. O desafio do líder do MDB é evitar traições durante a votação, que é secreta e está marcada para fevereiro. 

Com informações da Revista Veja

É como já dizia o ex-Governador Gonzaga Mota: Em politica não existe Retrovisor.

quinta-feira, dezembro 24, 2020

PDT DE IPU DISCUTE ESTRATÉGIAS PARA O PÓS ELEIÇÃO

Aconteceu ontem, quarta-feira (23/12) na residência do ex-prefeito de Ipu, Zezé Carlos, um misto de reunião política e confraternização dos membros do PDT de Ipu. Liderado por Diego e Toinha Carlos, também contando com a presença do Vereador Hilton Belém e do suplente Elias Guilherme, o encontro colocou várias pautas em debate. 

EFETIVIDADE

O epicentro político em discussão foi a ideia de “um novo PDT” com novas ideias e objetivos, se posicionando forte junto as lideranças estaduais.  A ideia, segundo um dos presentes no evento, é ser uma opção consistente à sociedade ipuense, com projetos, planejamento e fortalecimento de todas suas lideranças nos distritos, comunidades, bairros, serra, sertão e cidade.

AÇÕES JUNTO AO MP

Também foi colocada em pauta que o PDT de Ipu deve agir juridicamente mediante as últimas investidas do Ministério Público Eleitoral contra o PCdoB do prefeito Sérgio Rufino. Diego e Toinha deverão acionar um profissional da área para reforçarem as denuncias de abuso do poder econômico por parte do grupo político que venceu os pedetistas nas ultimas eleições. 

SÉRGIO AGUIAR 

Outros assuntos mais estratégicos só serão tratados em janeiro com o Deputado Sérgio Aguiar (PDT) quando o parlamentar vier ao IPU.

quarta-feira, dezembro 23, 2020

PIRES FERREIRA E OS FAVORITOS PARA A PRESIDÊNCIA DA CÂMARA MUNICIPAL


A sucessão da mesa diretora da Câmara Municipal de Pires Ferreira está ainda em aberto. Porém, indiscutivelmente, será do grupo de situação que sairá o nome para a nova presidência que governará em consonância com a prefeita eleita Lívia Mororó Muniz (PDT) a partir de 1º e janeiro. Dos nove vereadores eleitos, sete pertencem ao PDT que tem como referência maior o professor Marcos Marques, sogro da atual prefeita Marfisa Aguiar e também de Lívia. Os dois vereadores de oposição, Aldemir da Cerâmica e Nilton Anastácio, ambos filiados ao PTB encabeçado pelo candidato não vitorioso José Augusto Torres, não tem quórum para formarem uma chapa.

Dois nomes despontam no atual cenário: Jamile Mororó que é sobrinha da prefeita eleita e Eriberto Paiva, o edil mais bem votado com 583 votos e também marido da vice-prefeita reeleita Fabiana. 

A lógica aponta para um acordo em que um fique com o primeiro biênio e o outro fique com o segundo. Uma fonte muito ligada ao núcleo político da Família Marques, acredita que existe uma tese consistente que nos dois últimos anos de gestão, seria interessante que a presidência legislativa fosse ocupada por uma pessoa de escolha pessoal da prefeita eleita, o que no caso seria virtualmente a vez de Jamile, portanto no biênio 2023-24. Com esse cenário, o bicampeão de votos Eriberto seria o nome a ser convidado para ser o próximo a comandar o Poder Legislativo. 

OS CONTRAS 

Contra Jamile pesa o fato da mesma ter sido egressa no grupo de oposição, podendo gerar um certo desconforto aos vereadores que já militam no grupo nas últimas eleições. 
Porém, não há nada que impeça que Lívia exerça, nesse sentido, um força inicial de indicação e emplaque sua tia Jamile na presidência para o primeiro biênio. 
Contra Eriberto, apesar da sua força política ter sido fundamental para o fortalecimento do grupo de situação nos dois últimos pleitos, pesa a estratégia do clã dos Marques de não dar protagonismo a um pretérito pretendente ao cargo de prefeito em Pires Ferreira.  Porém, estamos falando de um primeiro biênio que ainda está distante da sucessão municipal e, sendo assim, o novo presidente da Câmara pouco interferia na virtual sucessão e/ou possível reeleição da prefeita Lívia em 2024. 

Dificilmente haverá rebeldia de algum outro pretendente, ao observar que não é muito prudente no início de uma gestão municipal contrariar interesses dos seus líderes. Mas não esqueçamos que o atual presidente Eduardo do Donato é um nome muito confiável aos atuais gestores e com boa aceitação entre seus pares. A Vereadora Francisca corre por fora, mas só terá chances se os dois propensos indicados refutarem o comando inicial da Câmara Municipal nessa nova legislatura.  

terça-feira, dezembro 22, 2020

VARJOTA - MP PEDE A CASSAÇÃO DE PREFEITO E VICE ELEITOS

O Ministério Público Eleitoral (MPE), por meio da Promotoria da 65ª Zona, ingressou com uma Ação de Investigação Judicial Eleitoral (AIJE) contra o prefeito e a vice-prefeita eleitos do Município, Francisco Elmo Bezerra Monte e Alessandra Araújo Pinheiro, respectivamente, por abuso de poder econômico e compra de votos. Na ação, o MPE pede a decretação da inelegibilidade e a cassação dos diplomas dos acusados, com base no artigo 22, inciso XIV, da Lei Complementar Federal nº 64/1990, e no artigo 14, parágrafo 9º, da Constituição Federal de 1988. Os citados na AIJE, se condenados, também deverão pagar multa em valores que podem chegar a R$ 53 mil. 

De acordo com a Promotoria Eleitoral da 65ª Zona, o prefeito eleito, entre os dias oito e 20 de novembro, promoveu gratuitamente serviços de transporte privado de pessoas, por meio da contratação de frete de ônibus saindo da cidade do Rio de Janeiro e chegando ao Ceará, trazendo exclusivamente eleitores, como moeda de troca pelo voto em favor de sua candidatura no dia 15 de novembro de 2020, conforme constam em registros feitos durante as viagens, os quais foram anexados à AIJE. 

Por fim, há relatos que o prefeito eleito teria promovido até a instalação e distribuição gratuita de sinal de internet na casa de eleitores em troca de votos no pleito deste ano. Ainda que não tenha participado ativamente das práticas ilícitas, a vice-prefeita eleita de Varjota, Alessandra Araújo Pinheiro, também é acusada na Ação do MPE, visto que, igualmente, beneficiou-se das condutas para se eleger. 

Fonte: Site do MPCE

CONCURSOS PÚBLICOS - PREVISÃO COM MAIS DE 25 MIL VAGAS NO CEARÁ


Assim como o mercado de trabalho na iniciativa privada, a realização de concursos públicos também foi afetada pela pandemia do novo coronavírus. Provas que já estavam com data marcada foram adiadas e editais que seriam publicados, suspensos. A reabertura da economia e a iminência do processo de vacinação em 2021, no entanto, gera expectativas de retomada dos processos seletivos, que se somam àquelas já previstas para o próximo ano. No Ceará, os concursos que podem ser realizados pelo Estado, prefeituras e outros órgãos somam cerca de 25 mil vagas.

A analista judiciária adjunta do Tribunal de Justiça do Ceará (TJ-CE) e sócia-proprietária de um curso preparatório para concursos, Malu Aragão, destaca que o ano de 2021 será muito propício para quem já estava se preparando para tentar uma vaga no serviço público e para quem deixou o setor privado durante a pandemia.

"Um dos mais importantes para o Ceará é o concurso da Assembleia Legislativa, que estava marcado para acontecer em junho e foi suspenso em razão da pandemia. Com as eleições, o atual presidente da Assembleia, José Sarto, foi eleito prefeito e o seu sucessor (Evandro Leitão) já se pronunciou", afirma a analista.

No início do mês, quando eleito à presidência da Casa, Leitão reiterou que a realização do concurso é uma de suas missões. "Logo que possível, sempre respeitando as autoridades sanitárias, nós iremos dar prosseguimento e quanto antes iremos lançar esse concurso", disse ele na ocasião.

Malu pontua que a expectativa é que seja aberto um novo período de inscrições para a seleção, o que favoreceria quem não tenha se inscrito. "Isso deve acontecer ainda no primeiro semestre, já que é uma prioridade", prevê Aragão.

O certame oferta 100 vagas para nível médio e superior nos cargos de analista e técnico legislativo, sendo 30 para técnico e 70 vagas para analista legislativo com graduação. Para os cargos de nível médio, a remuneração inicial será de R$ 2,2 mil para uma jornada de 30 horas. Já para nível superior, o salário chega a R$ 4.4 mil.

Entre as áreas estão Administração, Arquitetura e Urbanismo, Biblioteconomia, Ciências Contábeis, Ciências Econômicas, Consultoria Técnica Legislativa, Controle Interno, Design Gráfico, Direito, Engenharia Civil, Engenharia Elétrica, Informática, Jornalismo, Língua Portuguesa, Psicologia e Publicidade e Propaganda.

A prova do concurso estava marcada para 12 de julho, mas foi adiada por conta da pandemia. Cerca de 30 mil pessoas se inscreveram para a seleção.

Carreira policial

A servidora também pontua que um dos segmentos com mais oportunidades no próximo ano será o de Segurança Pública. São previstos concursos para Polícia Civil, Polícia Militar e Perícia Forense (Pefoce). "Serão mais de duas mil vagas, então há uma boa expectativa para a carreira policial", ressalta.

Os três concursos já estão com comissão formada e possuem cargos para escrivão e inspetor para Polícia Civil, oficial e soldado para PM e peritos criminais, peritos legistas, médicos legistas e auxiliares para Pefoce. Os salários variam de R$ 3,6 mil a R$ 9,8 mil.

Saúde

O professor e mentor de concursos Bruno Bezerra também ressalta o cenário promissor para os profissionais da área da saúde. Ele lembra que a criação da Fundação de Saúde do Ceará (Funsaúde), em setembro, irá gerar uma demanda expressiva por profissionais. "Já se falou em 12 mil vagas, mas esse número é uma expectativa, não se tem ainda uma definição", aponta.

Ele pontua que os cargos incluídos seriam os mais variados, desde o técnico em enfermagem ao médico.

Bezerra também aposta em seleções municipais para a área da saúde, em especial pela campanha de vacinação contra a Covid-19. "No caso dos municípios há uma limitação que é o acordo feito com o Governo Federal de não criar cargos até 31 de dezembro de 2021. Isso acaba sendo um fator limitador, mas os cargos que estiverem vagos serão repostos. Iremos precisar do quadro completo, não tem jeito".

O acordo ao qual o professor se refere é o feito entre estados e municípios em troca do socorro fiscal para amenizar as perdas de arrecadação em decorrência da pandemia. Para aprovar o repasse, o Governo Federal solicitou o congelamento de salários, a criação de novas vagas e a suspensão de reestruturações de carreira que elevem custos até o fim de 2021.

Orçamento limitado

Apesar do fator limitador do orçamento público, que foi impactado pela pandemia, Aragão destaca que os cargos vagos por motivo de aposentadoria ou morte de servidores não podem ser extintos, podendo haver reflexo apenas na criação de vagas novas.

"Ainda assim, o Ceará saiu muito fortalecido, a economia não teve uma queda tão grande quanto se esperava. Além disso, os poderes são independentes. O Legislativo tem orçamento próprio, assim como o Executivo, o Judiciário, que inclusive teve uma economia com teletrabalho", argumenta.

Ela acrescenta ainda que não haver concurso do Executivo Federal, por exemplo, não impede que as demais instituições o façam. Bezerra também lembra que, no caso de cargos efetivos, não pode haver redução salarial. "Talvez não tenha aumento, por conta das condições econômicas, mas também não pode haver redução", tranquiliza.

Esfera federal

Além dos concursos a serem realizados ao nível estadual e municipal, a analista judiciária Malu Aragão expõe um leque de seleções na esfera federal que estão previstos para acontecer em 2021. Alguns deles são: Polícia Federal (PF), Polícia Rodoviária Federal (PRF), Tribunais Eleitorais, de Justiça e do Trabalho, universidades federais e Instituto Nacional do Seguro Social (INSS), além da Câmara dos Deputados e Senado.

"Nós tivemos uma escassez de concursos, então quando vier agora, vai ser com força total. O concurseiro que se dedicou, mesmo com a pandemia, tem um leque de opções", diz.

Como se preparar

Para auxiliar os cearenses que pretendem começar ou continuar a estudar para seleções públicas, Bezerra orienta que o primeiro passo é escolher uma área de atuação. É necessário escolher um nicho de concurso, seja policial, da área da saúde, fiscal, tribunais, administrativos. Com o aumento da procura, ela aponta que as seleções estão mais difíceis.

"Se não tiver um foco, a pessoa não vai chegar bem preparada para nenhum concurso, sem aprofundamento em nenhuma área de conhecimento", aponta. Definida a especialidade, os candidatos devem traçar um plano de estudos que inclua a teoria, resoluções de questões e revisões.

Para auxiliar no processo, o professor diz que há meios de estudo presenciais e online, pagos e gratuitos. "Hoje em dia, a informação está muito difundida. Algumas pessoas conseguem estudar de casa, por cursos pagos, ou também com aulas gratuitas no Youtube, por exemplo".

Fonte: DN

segunda-feira, dezembro 21, 2020

"O CASO EVALDO x MP” E AS SUAS IMPLICAÇÕES NA POLÍTICA IPUENSE

Desde as primeiras horas do último sábado, 19, em muito repercute no meio político ipuense a denúncia feita pelo Ministério Público (MP) Eleitoral da cidade liderado pelo promotor Dr. Ítalo Souza Braga contra o vereador reeleito Evaldo Gomes (PCdoB). As análises das apreensões feitas (celulares, anotações e dinheiro em espécie) em operação da Polícia Federal e MP em 14 de novembro nas vésperas do pleito municipal, fez o Promotor da comarca pedir ao Juiz da 21ª Zona Eleitoral, Dr. Denys Karol Martins Santana,  a cassação do diploma de Evaldo, bem como a sua inelegibilidade nos próximos anos. 

Além das redes sociais e blogs da região, o meio radiofônico local, através dos programas jornalísticos Fatos em Debate (Rádio FM Cidade) e Jornal do Meio Dia (Rádio Iracema AM), também deram destaque ao fato em suas respectivas edições de hoje. 

Esse episódio traz reflexos na política ipuense, vejamos:

MUDANÇA NA CÂMARA MUNICIPAL

Segundo os operadores do direito por mim consultados, devido a robustez e consistência das provas, o vereador Evaldo Gomes terá grandes dificuldades em tentar manter o seu novo mandato. Apesar de ter o amplo direito de defesa e poder recorrer para outras instâncias, casos análogos nos últimos anos, sempre resultam em perda de mandato. Nesse sentido, o edil do PCdoB poderia postergar a sua cassação por alguns meses, mas não necessariamente evitá-la.  

Consumada essa possibilidade, os votos da legenda PCdoB seriam diminuídos em 1.089. Com isso, quociente eleitoral seria recalculado e o vereador de oposição, Genêso Mororó (PSD), assumiria uma cadeira no legislativo aumentando assim para três o número de vereadores de oposição. 

O DESCRÉDITO DO DISCURSO DE MORALIDADE 

O documento do MP não expõe apenas uma denúncia de abuso do poder econômico e político na captação ilegal de votos feita por Evaldo Gomes. Percebe-se também a sua conexão com outros políticos da cidade e, em especial, com o uso da máquina pública para fins eleitoreiros. Entre as várias conversas de Whatsap, por exemplo, umas mostram como o maquinário de obras da Prefeitura é utilizado pelos subordinados do prefeito Sérgio Rufino (PCdoB) para cooptação ilícita de votos. Portanto, uma prática imoral que não distingue a gestão dos Irmãos Rufinos daquilo que o Ipu viveu em outras administrações. Usar a máquina pública para fins eleitoreiros e apadrinhamentos políticos é crime e desrespeito ao cidadão ipuense pagador de impostos. 

Evaldo é o Líder do Prefeito na Câmara Municipal, portanto o responsável pela defesa de uma gestão que tem teoricamente a bandeira da transparência e honestidade no trato com a coisa pública.

O COMPORTAMENTO DOS LÍDERES DE OPOSIÇÃO

O eleitorado de oposição vive uma forte expectativa que aconteça um pedido de impugnação contra o candidato eleito Robério Rufino (PCdoB). Para muitos, com base nas conversas rastreadas pelo MP, existem fortes indícios do uso da máquina pública que beneficiaram o candidato eleito e apoiado pelo prefeito de Ipu, caracterizando assim o também abuso do poder econômico e político. 

Há uma expectativa que Diego Carlos (PDT), o teórico líder da oposição com seus 8.881 votos nas últimas eleições, assuma efetivamente o protagonismo da oposição liderando uma cruzada junto ao Poder Judiciário - isso com um bom corpo de advogados, e busque provocar a anulação das últimas eleições municipais para prefeito. Porém, pairam ainda muitas desconfianças em meio ao já comum “desaparecimento” de Diego Carlos no pós eleições e a suas relação politicamente cordial com a gestão dos Irmãos Rufinos. 

Enquanto Diego Carlos está reticente, o advogado Carlos Eduardo (PROS), o qual teve 961 votos nas últimas eleições para Prefeito, já demarcou território e prontamente já disse na imprensa radiofônica local que está analisando como  poderá entrar nos próximos dias com uma ação eleitoral com vistas a nulidade no pleito ipuense passado. A atitude do "Dr. Cadú" foi muito bem recebida por eleitores até do candidato do PDT. 

Essa é uma boa novela que está apenas começando. E como toda boa novela com seus heróis e os vilões, a justiça e a verdade sempre triunfam ao final. 

domingo, dezembro 20, 2020

EDITAIS DE CONCURSOS DA PM, PC e PEFOCE SERÃO LANÇADOS "O MAIS RÁPIDO POSSÍVEL" DIZ CAMILO

Em entrevista exclusiva ao Diário do Nordeste ontem (19/12), o governador do Ceará, Camilo Santana (PT), anunciou que os editais para a abertura de concursos públicos para a Polícia Militar (PM), Polícia Civil e para a Perícia Forense (Pefoce) serão lançados 'o mais rápido possível'. Segundo o gestor, a publicação dos certames já vem sendo cobrada à área técnica do Estado.

"Precisamos fortalecer, principalmente, a polícia judiciária (Polícia Civil). Por isso, lançamos concursos públicos para PM, Polícia Civil e Pefoce", destacou.

Camilo defende microcrédito como alternativa a auxílio emergencial; confira entrevista exclusiva

Os concursos já vinham sendo prometidos pelo governador para reforçar a Segurança Pública do Estado desde o início do ano. As vagas, no entanto, foram anunciadas pelo chefe do Executivo apenas em novembro deste ano. Ao todo, serão 2.870 oportunidades.

Cargos

Para a PM, serão 2,2 mil vagas: 200 para oficiais e 2 mil para soldados. Já para a Polícia Civil, serão 500 vagas: 100 para escrivães e 400 para inspetores. Para a Pefoce serão 170 vagas: 60 para peritos criminais, 20 para peritos legistas, 20 para médicos legistas e 70 para auxiliares de perícia.

Veja aqui outros detalhes da entrevista.

Fonte: DN


CEARÁ JÁ TEM PREFEITO IMPUGNADO E MUNICÍPIO COM NOVAS ELEIÇÕES

Os prefeitos eleitos no pleito de 2020 ainda nem tomaram posse e a Justiça Eleitoral já visualiza no horizonte a realização de eleições suplementares a partir de 2021. Essa modalidade, que traz uma carrada de incertezas à população e de prejuízos ao poder público, ocorre quando, por algum motivo, o gestor eleito nas urnas tem o registro ou o diploma cassado na Justiça Eleitoral. Convoca-se, nesta circunstância, o eleitorado daquela cidade para voltar às urnas, de forma isolada, e no meio do período do exercício do mandato, para escolher o seus gestores.

O primeiro caso no Ceará já está praticamente definido.

É o de Caridade, na região do Sertão de Canindé. Lá, a prefeita eleita, Simone Tavares, teve o pedido de registro de candidatura impugnado. A primeira decisão foi no Tribunal Regional Eleitoral (TRE-CE). Já na última sexta-feira (18), por unanimidade, o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) manteve o indeferimento, impedindo a diplomação e a posse da prefeita eleita. Ela ainda pode entrar com embargos na Corte, entretanto, com a decisão contundente do pleno, por unanimidade dos ministros, dificilmente haverá mudança em relação ao resultado. A candidatura de Simone foi barrada com base na lei da ficha limpa. 

Bronca das liminares

Aliás, nos bastidores, há uma insatisfação – já demonstrada por vezes no pleno virtual – de membros da Justiça Eleitoral no Ceará com algumas liminares expedidas pela Justiça Comum, beneficiando candidatos já no fim dos prazos legais relativos à posse e diplomação para o exercício dos cargos. Há, na avaliação de especialistas, recursos meramente protelatórios e liminares que não se sustentam do ponto de vista jurídico e que apenas irão adiar um problema que está por vir. Quando é assim, avalia esta coluna, quem perde é o eleitor e a população dos municípios.

Gestor interino 

Voltando ao caso de Caridade, se confirmando a negativa do registro da prefeita eleita, o TSE irá convocar eleições suplementares para que a população da cidade escolha um novo gestor. Antes disso, entretanto, o município precisa ser governado. E quem assume, nestes casos, é o presidente da Câmara Municipal. No dia 1º de janeiro haverá a posse dos vereadores, a escolha do novo presidente da Casa e o escolhido ao comando assumirá interinamente a Prefeitura até que saia o resultado da nova eleição. Isso reverte de mais importância política o ato de posse dos novos vereadores. O TSE já trabalha em um calendário de eleições suplementares a serem realizadas em todo o País no ano que vem.

Semelhantes

Semelhantes ao caso de Caridade, em Barreira, Jaguaruana, Martinópole, Missão Velha e Pedra Branca as ações são com base na lei da Ficha Limpa ou em casos de inelegibilidade dos candidatos eleitos. Estes processos, alguns dos quais estão em grau de recurso no TSE ou no TRE, tendem a ser julgados com maior rapidez. Inclusive, o ideal era que todos tivessem sido julgados até o limite da data da diplomação, o que não ocorreu. Ou seja, pode haver mais eleições suplementares no Estado, conforme avancem os julgamentos.

OUTRAS CIDADES

Em outros sete, há ações de investigação eleitoral que envolvem a possível prática de crimes eleitorais que poderiam ter levado os candidatos à vitória. Nestes casos, os processos ainda estão no início: Coreaú, Nova Russas, Pacujá, Madalena, Fortaleza, Camocim e Pires Ferreira. Em alguns casos, as coligações nem sequer foram citadas ou ouvida nos processos judiciais.

Fonte: DN

sábado, dezembro 19, 2020

CONFIRA A EDIÇÃO DESTE SÁBADO E FIQUE POR DENTRO DAS ÚLTIMAS NOTÍCIAS DA POLÍTICA NACIONAL E LOCAL



A QUINTA ELEIÇÃO DO CLÃ FAMILIAR LIDERADO PELO PROFESSOR MARCOS MARQUES EM PIRES FERREIRA

Em 2004, o prefeito de Pires Ferreira, ex-distrito de Ipu e emancipado em 1988, era Francisco das Chagas Torres Júnior, o Torrim. Naquele ano, o então gestor dos piresferreirenses vivia seu apogeu político. Além de eleger sua esposa, Corrinha Torres, como prefeita de Ipu, Torrim emplacava como prefeito seu compadre e amigo Professor Marcos Marques. Menos de dois anos, em mais uma típica edição de criatura se rebelando como seu criador, o professor rompeu politicamente com Torrim e de lá até as últimas eleições exerce uma hegemonia política que agora caminha para 20 anos de poder. 

Nesse percurso, computando o pleito de 2004 o qual foi eleito ainda em meio ao poder político do seu compadre, já são contabilizadas cinco eleições em que o grupo político do Professor Marcos vence o já repetitivo embate contra seu ex-parceiro Torrim que desde 2008 tenta voltar ao poder.

Nessas quase duas décadas, o clã dos Marques ganhou mais poder de articulação com os casamentos dos seus filhos que fortaleceram a unidade familiar e agregaram capilaridade política com influência até fora dos domínios do município. O primogênito Pedro Humberto, recém eleito prefeito de Reriutaba, é casado com Marfisa Aguiar a qual geriu Pires Ferreira nos últimos oito anos. Marcos Paulo é casado com Lívia Muniz, neta do ex-prefeito Enoque Mororó e eleita prefeita neste ano de 2020.

Sabe-se que esse grupo político familiar tem forte respaldo junto as lideranças estaduais como o Senador Cid Gomes e o Governador Camilo Santana. Outro ponto que em muito fortaleceu a continuidade da ala situacionista de Pires Ferreira, foi a boa gestão da carismática prefeita Marfisa Aguiar sempre ladeada pelo bem articulado marido Pedro Humberto.

Excetuando os Ferreira Gomes em Sobral, o Professor Marcos Marques agora lidera o grupo político familiar com mais tempo de poder na região. 

Apesar de ter uma educação super premiada e o ganho de vários equipamentos públicos para sua comunidade nos últimos anos, a cidade de Pires Ferreira está entre os cinco municípios com menor renda per capita do estado. Portanto, existem grandes desafios para serem superados pelo poder municipal.

sexta-feira, dezembro 18, 2020

MINISTÉRIO PÚBLICO PEDE A CASSAÇÃO DO PREFEITO ELEITO JOSÉ SARTO (PDT)

O Ministério Público Eleitoral pediu à Justiça Eleitoral, nesta quinta-feira (17), a cassação dos registros de candidatura do prefeito eleito de Fortaleza, José Sarto Nogueira (PDT), e do vice, José Élcio Batista (PSB). De acordo com o MP Eleitoral, os então candidatos teriam sido beneficiados pela "prática de abuso de poder político e econômico e captação ilícita de sufrágio”.

Sarto Nogueira foi eleito prefeito de Fortaleza em 2020 com 51,69% dos votos válidos. No segundo turno do pleito, ele derrotou o candidato apoiado por Bolsonaro em Fortaleza, Capitão Wagner, que teve 48,31% dos votos válidos.

A assessoria da chapa eleitoral formada por Sarto Nogueira e Élcio Batista informou ao G1 que ainda não foi notificada e teve acesso ao conteúdo da ação. A defesa de ambos acrescentou que só deve se pronunciar após tomarem conhecimento das denúncias.

Além do prefeito e do vice-prefeito eleitos em Fortaleza, o Ministério Público também solicitou a cassação dos registros de candidatura ou dos diplomas de Lúcio Albuquerque Figueiredo Bruno, Marta Maria do Socorro Lima Barros Gonçalves e Francisco Albuquerque de Moura.

O órgão não divulgou com a justificativa que a investigação dos fatos tramita em segredo de justiça por possuir documentos sigilosos. Os membros do Ministério Público Eleitoral também solicitaram a aplicação da multa.

Fonte: G1

O "TERCEIRO MANDATO" DE SÉRGIO RUFINO

Na última quarta, 16, houve a diplomação extraoficial do terceiro mandato do prefeito Sérgio Rufino (PCdoB). A partir de 1º de Janeiro, hipocrisias e formalidades a parte, Sérgio deixa de ser o gestor oficial do município e passa a ser o prefeito de facto, enquanto seu sobrinho, Robério, fará apenas o papel formal de gestor protocolar e sem força de decisão política. Os 58% de cidadãos ipuenses que escolheram a chapa Robério-Antonieta, indiscutivelmente, votaram numa terceira gestão do "65". Nada diferente disso há que se esperar no quadriênio 2021-2024, nem para o mais displicente ou o mais consciente dos munícipes.

Nesse primeiro momento pós eleição, há um esforço formal, sobretudo na imprensa, redes sociais e discursos em inaugurações de obras, por parte da atual gestão em caracterizar que está acontecendo a transição para "um novo mandato” a partir de 2021. Tudo isso para evitar possíveis questionamentos junto ao Poder Judiciário sobre a existência de um ilegal terceiro mandato de Sérgio Rufino. Nesse sentido, o ainda prefeito tem sido alertado da necessidade de fazer relativas mudanças no secretariado do seu sobrinho, fechando de vez a ideia que é uma “nova administração”. 

UM DRIBLE NA INELEGIBILIDADE REFLEXA

Uma vez reeleito em 2016, já havíamos aqui cravado – tanto nesse Blog como em nossas participações radiofônicas, que a ideia do projeto de poder de Sérgio Rufino e o seu pragmatismo político em só confiar em familiares em cargos estratégicos, apontavam para a indicação de um sobrinho (a).  

Por que um sobrinho? As leis eleitorais do nosso país impendem a indicação de irmãos, filhos, noras e genros como candidatos em um mesmo município de um gestor já reeleito. Porém, sobrinhos são considerados parentes em terceiro grau e por isso não causam a inelegibilidade que é refletida em parentes de primeiro e segundo graus. 

Houve até a ventilação para que Sérgio Rufino renunciasse seis meses antes da eleições desse ano, e seu irmão Zeca Rufino, presidente da Câmara Municipal, assumisse a prefeitura e se candidatasse a reeleição. Porém, isso causaria instabilidade jurídica no percurso da campanha eleitoral podendo gerar uma cassação de chapa, pois não há jurisprudência nesse tipo de situação prevista nas resoluções do STE (Superior Tribunal Eleitoral).

O SOBRINHO PERFEITO

Robério Rufino era, até então, uma figura desconhecida no mundo político local, sendo também um pequeno comerciante com formação educacional básica. Porém, por ser um sobrinho sem vaidades, humilde, bom pai de família e um membro familiar não envolvido em polêmicas no cotidiano da cidade, Sérgio Rufino viu nele o estratégico candidato o qual, uma vez eleito, seria o prefeito obediente e fiel e que não teria luz própria no exercício do cargo ao ponto de lhe causar incômodos futuros.  

Para evitar maiores descontentamentos dentro do seu grupo político, o gestor "escondeu seu candidato" até o momento final das convenções, esperando também o 100% de certeza que a oposição partiria  dividida e sem estrutura econômica.

RELAÇÃO COM O PÚBLICO

O prefeito eleito ainda não é muito hábil com as palavras em público, algo que a liturgia do cargo sempre irá lhe exigir em vários eventos sócias e políticos em que não estarão presentes apenas seus apoiadores políticos. Por enquanto, seus discursos são simplórios e de agradecimento por ter sido eleito e que vai continuar a gestão do seu tio. 

A agenda de um chefe de Poder Executivo vai lhe exigir muito e diferentemente do seu tio, Zeca Rufino, que nunca fez um discurso à frente do Poder Legislativo em oito anos no comando dele, Robério não poderá deixar de representar uma cidade com mais de 40.000 habitantes mediante o protagonismo de outros prefeitos da região. Provocações que exigiam respostas a sociedade e audiências no Ministério Público, são momentos muitas das vezes tensos e inevitáveis para qualquer prefeito. 

Robério Rufino deverá ser visto com frequência  na sede da prefeitura ao lado do seu outro tio, Tião Rufino, o sempre "chefe de gabinete", em meio a necessidade da assinatura de documentos e o cumprimento de agenda. Mas nem sempre, os seus tios, Sérgio e Tião, poderão estarem ao seu lado falando ou intervindo por ele em situações formais ou até mesmo adversas. Mas nada que o cotidiano não ensine.

Uma coisa é irrefutável, mesmo sendo por força do seu sobrenome: Robério Rufino  já escreveu seu nome nos anais da História de Ipu, chegando a um posto que muitos políticos ipuenses almejam e outros muitos se dedicaram e não conseguiram. E isso é um fato bastante significativo, o qual deve ele ser zeloso nos próximos quatro anos na construção da sua biografia como mais um dos Prefeito da Terra de Iracema.

quinta-feira, dezembro 17, 2020

CAMILO SANTANA PRETENDE RETORNAR COM AS AULAS PRESENCIAIS EM FEVEREIRO

O retorno presencial às aulas em escolas públicas - interrompidas desde março deste ano - deve ocorrer em fevereiro de 2021, coincidindo com o início do novo ano letivo, de acordo com o governador Camilo Santana em entrevista ao Sistema Verdes Mares, na manhã desta quinta-feira (17). No entanto, segundo ele, também haverá o “direito a aulas remotas”.

“Vamos voltar a partir de fevereiro, mas garantindo que tenhamos aulas presenciais e aulas remotas. O decreto hoje autoriza todas as escolas, não só as privadas. Caberá também a cada prefeito, a cada município, fazer o seu planejamento”, declarou o chefe do executivo estadual. 

Segundo ele, o comitê científico do Governo do Estado vem percebendo que “outras áreas são mais preocupantes que a própria escola”. “O mundo inteiro está revendo isso. O que está gerando hoje um aumento no número de casos são festas e aglomerações, eventos que estamos restringindo”, afirma.  

Preparação

Camilo lembrou que, em preparação para diversos cenários na educação, o Estado iniciou a distribuição de chips de internet para mais de 340 mil alunos da rede estadual, permitindo que tenham acesso gratuito a aulas virtuais. Tablets também devem ser adquiridos, mas atualmente há “dificuldades na licitação”.

Ainda no planejamento do retorno, Camilo diz que vem defendendo a inclusão de professores nos grupos iniciais que receberão a vacina contra a Covid-19. Atualmente, a categoria está prevista na Fase 4 de imunização, mas o governador negocia a antecipação para a Fase 1 ou para a Fase 2, e diz que o Ministério da Saúde “ficou de avaliar”.

“Claro que vai depender muito da disponibilidade de vacinas que nós teremos a partir do início da imunização. Como se pretende voltar às aulas a partir de fevereiro, no início do ano letivo, a maioria das crianças é assintomática, então a presença do aluno com o professor pode transmitir o vírus”, explica.

(Diário do Nordeste)

BLOG DO KT COMENTA: Passadas as eleições com suas ações promíscuas em termos de medidas sanitárias, somente agora o Governador coloca a educação na pauta do dia, embora deixe claro que isso não é uma das suas grandes prioridades. 

E o que dizer dos prefeitos interioranos que não ousaram e se mostraram irresponsáveis com as perdas pedagógicas dos alunos da educação básica? Já não seria a hora do Prefeito Sergio Rufino em seu "Terceiro mandato" anunciar um plano de retorno? 

E as cidades interioranas que usam os números do Spaece como forma de propaganda por que não dão um passo inovador e deixam de ficar a reboque dos decretos governamentais? 

Não foi um ano fácil para os gestores público, disso sabemos. As soluções não eram tão fáceis para serem encontradas, mas muitos ficaram numa "zona de conforto" e não buscaram soluções próprias. 

Esse e outros temas serão analisados pelo professor Kléber Teixeira no próximo sábado, 19, a partir das 11h no Programa Política e Debate na FM Cidade de Ipu.