domingo, maio 02, 2021

PARTE DOS FUNCIONÁRIOS MUNICIPAIS DE IPU NÃO TEM REAJUSTE SALARIAL DESDE 2016

Ontem, 1º de Maio e Dia Internacional do Trabalho, a gestão municipal de Ipu que tem como comandante político extraoficial o ex-prefeito Sérgio Rufino (PCdoB), não promoveu a sua tradicional festa para o trabalhador municipal devido o compreensível decreto de distanciamento social em meio a pandemia. Robério Rufino (PCdoB), o sobrinho que é formalmente o chefe do executivo, apenas fez um registro (imagem abaixo) em uma rede social. Correligionários  do prefeito dizem que o mesmo ainda irá à uma rádio local sortear uma geladeira e outros eletrodomésticos para os seus funcionários. No mais, a gestão do "asfalto, concreto e pracinha" não fez nenhum tipo de anúncio no sentido de contemplar setores trabalhistas com suas demandas. 

Projetos municipais que proporcionem a geração de empregos cairiam muito bem em serem anunciados em um 1º de Maio. Alias, por falar em projetos de geração de emprego ou a contratação de novos servidores municipais via concurso público, isso não faz parte da vocação administrativa do líder-mor do clã Rufino que comanda o Ipu desde 2013. Lembramos também que Sérgio Rufino já tem sua trajetória política em Ipu manchada pela cruzada que promoveu (e ainda promove) contra a reintegração de mais de 300 concursados municipais, os quais aguardam um veredicto final no STF.

Aumento salarial acima das perdas inflacionárias ou reposição salarial de várias categorias, não é política pública da Prefeitura de Ipu! Coloquemos na conta desse cenário de apatia, um sindicato dos trabalhadores com atuação submissa, apática e conivente com a indiferença dos Rufinos.

O CADUCO DISCURSO DO SALÁRIO EM DIA. 

De fato, a gestão do PCdoB cumpre e propagandeia efusivamente o pagamento dos salários do seu quadro de funcionários concursados em dia. Estrategicamente o Clã Rufino busca com esse discurso ofuscar muitas outras omissões que mostram que essa ideia de "valorização do trabalhador" não é tão verdadeira assim. 

SALÁRIO DEFASADO.

Os funcionários concursados que tinham por base na ocasião da sua posse no cargo vencimentos acima de um salário mínimo, estão sem reajuste desde o ano de 2016. O então prefeito Sérgio Rufino, somente no ano da sua reeleição em 2016, deu um minguado reajuste linear para estes funcionários após ter passado três anos em branco. De 2016 em diante veio uma nova sequência de anos sem reajuste e uma ausência total de valorização. A defasagem salarial já gira alarmantemente em torno de 50%.

CATEGORIAS DESVALORIZADAS

Além desse acaso para quem ganha acima de um salário mínimo, existem outras reivindicações de categorias que o grupo político que comanda o Ipu segue a ignorar. Funcionários da SAAE pedem reposição salarial e plano de cargos e carreiras. Professores são tratados na mesmice salarial. São varias as outras categorias que não recebem adicional noturno, salubridade, gratificações e adequações ao piso nacional das suas respectivas categorias. 

Para uma prefeitura que professa o bom saneamento das suas contas e que tem um comando teoricamente "comunista", há aqui um enorme contrassenso com os funcionários municipais. 

Nenhum comentário: